7 de abr de 2016

Neuroses cotidianas

Por Lugana Olaiá

O último texto foi sobre uma mãe cansada. E depois que você assume ser uma mãe cansada, é como se não pudesse mais negar toda a realidade "nem sempre tão sensacional" da vida materna. 
Eu sei que tenho leitoras sem filhos. E queridas, não posso contar os detalhes! Só é permitido o direito de saber as partes complicadas da maternidade depois de ter filhos. hahaha
Você que não pariu, mas viu uma melhor amiga de perto, ajudou a criar uma sobrinha, acha que sabe, mas provavelmente não tem ideia. É muito particular mesmo e sua irmã ou amiga ou comadre certamente cortou as partes mais intensas.
No entanto, como recompensa, direi várias coisas que demonstram como as mulheres podem caminhar rumo ao surto, mesmo que não sejam mães. É com emoção, então apertem os cintos! kkkkk
É quase natural que o ser humano saiba mascarar suas emoções. Estamos acostumados a engolir os sapos da vida, rimos de piadas que não gostamos, ficamos caladas quando o chefe ou alguém mais velho fala alguma coisa que você não aprova, sei lá, um monte de outras coisas.
Daí você engravida, eu já contei aqui como todos se metem na sua vida e falam coisas horríveis. Depois o bebê nasce e tudo continua. E piora. 
Você, aquela antiga mulher bem resolvida que contava suas verdades num blog, onde era você mesma, e divulgava para amigos e conhecidos, e falava sobre qualquer coisa na mesa de bar, e tomava café gourmet com torta numa livraria sozinha depois de comprar seu lançamento tão esperado...já não sabe como se acostumar a engolir os velhos e robustos sapos..e então entra num ciclo maluco de não querer falar com ninguém.
Mas você precisa beber, né? Porque aguentar essa vida PUNK sem uma dose de bebida quente é muito mais difícil.
Agora procure em sua lista de contatos, tente encontrar alguma mulher que não te julgue por amamentar, que não jogue na sua cara sua vida perfeita com um filho bebê que dorme a noite toda, ou que não seja solteira sem filhos e com bastante dinheiro sobrando para gastar com suas coisas pessoais. Caso conheça alguém que escolha apenas te acompanhar e não faça da sua vida uma tragédia sem futuro próspero, saia de casa e tire o peso dos ombros.
Ou vá sozinha, e seja sua segunda melhor companhia!





Nenhum comentário: